PT EN

Novo Mundo. Visões através da Bienal Iberoamericana de Diseño. 2008-2016

22 Abr. 2017 > 06 Ago. 2017

Coordenação Geral: Bárbara Coutinho, Diretora do MUDE e Manuel Estrada, Presidente ejecutivo BID

Curadoria: Bárbara Coutinho

Comité cientifico:
Félix Beltrán (CU), Henrique Cayatte (PT)/ Bárbara Coutinho (PT)/ Manuel Estrada (ES)/ Carlos Hinrichsen (CL)/ Ruth Klotzel (BR)/ Francisco Providência (PT)/ Ignacio Urbina (VU) 

Coordenação executiva
: Vera Brito (PT) / Gloria Escribano (ES)

Design expositivo:
Ateliermob (PT)

Design de comunicação:
Lsdspace Gabriel Martínez (ES)

Organização:
MUDE - Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo, em parceria com DIMAD - Fundación Diseño Madrid y Asociación Diseñadores de Madrid
Parceiro para toda a programação do MUDE no âmbito de Lisboa, capital ibero-americana da cultura 2017: Universidade de Lisboa / MUHNAC e IICT

Entrada gratuíta


Programação MUDE FORA DE PORTAS
Parceria Universidade de Lisboa – Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC)

Local: Palácio dos Condes da Calheta, Jardim-Museu Agrícola Tropical (Belém)
Rua General João de Almeida, 1300-266 Lisboa
Horário: Terça a Domingo, das 10H às 18h

A exposição Novo Mundo parte das cinco edições da Bienal Iberoamericana de Diseño (BID) realizadas entre 2008 e 2016 para refletir sobre a real capacidade do design ser um agente transformador da sociedade e do homem. Os projetos e serviços selecionados, de quase 200 designers oriundos de 20 países, têm vindo a estimular a real partilha de informação e conhecimento, o intercâmbio intergeracional, a coesão social, a inclusão e o multiculturalismo, contribuindo para o desenvolvimento humano e para a sustentabilidade social, ao mesmo tempo que testemunham a universalidade da linguagem do design. Muitas propostas permitem uma leitura sobre alguns dos problemas mais prementes da atualidade, como as migrações e a exclusão social, a violência urbana, os desalojados, a iliteracia, a criação de novas fronteiras/muros, o aumento dos nacionalismos ou os extremismos políticos. Ao mesmo tempo, evidenciam o contributo do design em projetos multidisciplinares, colaborativos e participativos, ou em áreas tão diferentes como a ciência, a política, a educação e a medicina. Estamos muitas vezes perante projetos simples, desenvolvidos à escala local, que recuperam técnicas e saberes tradicionais ou que usam as vantagens da globalização e as novas tecnologias de informação e comunicação, fomentando uma cidadania ativa e valorizando o compromisso coletivo.
A exposição privilegia mais o pensamento, a palavra, o projeto e a responsabilidade ética de cada designer, do que o produto final. Quer mostrar o design como verbo (como prática e compromisso), expondo as convicções, intenções, expectativas e metodologias defendidas pelos diferentes autores. É um espaço de reflexão sobre o nosso mundo, o interculturalismo do espaço ibero-americano e o próprio processo curatorial que a construiu, na medida em que este permite debater alguns estereótipos e preconceitos que ainda persistem.
O título pretende também espelhar o espaço de reflexão que queremos criar. Ao mesmo tempo que nos remete para o termo histórico que cunhou os territórios descobertos pelo Velho Mundo, e nos confronta com o olhar eurocêntrico que construiu uma determinada visão das Américas e das suas populações indígenas, Novo Mundo fala-nos de um mundo verdadeiramente global e de uma sociedade mais equilibrada e humanista que importa construir, e para a qual a cultura e o design ibero-americanos têm um importante contributo.

Jornal da exposição:
jornal17abril-preview.pdf

Consulte a programação da Capital Ibero Americana da Cultura