PT EN

Lá vai ela formosa e segura. Scooters da Coleção de João Seixas

23 Jul. 2010 > 24 Out. 2010

Curadoria
João Seixas
Pedro Teotónio Pereira

Design gráfico
Sofia Salazar Leite
Diana Mira

Design expositivo
Frederico Valsassina

Piso 1


Leonor cantada por Luís Vaz de Camões, que ia descalça para a fonte, «fermosa, mas não segura», é reinventada por António Gedeão, em 1961, e passa a ir «voando para a praia, na estrada preta. Vai na brasa, de lambreta». Animados por esta nova Leonor e embalados pela sonoridade do poema, intitulámos Lá vai ela, Formosa e Segura à exposição que apresenta a evolução da scooter, entre 1945 e 1970. Com esta exposição conhece-se a pluralidade e especificidade de cada scooter, percebendo melhor este fenómeno que cruza a Europa e os Estados Unidos. A Vespa recebe um destaque pois ganha uma popularidade tal que a torna quase no seu sinónimo. Símbolo do bom design italiano, é hoje um clássico do século XX e um objeto de culto. Exemplo paradigmático da unidade entre a forma, de linhas modernas e orgânicas, e a nova tecnologia, a Vespa significa também o ressurgimento económico de Itália e da marca Piaggio. Económica, funcional e bela, a Vespa tem de ser olhada no âmbito do movimento global de afirmação do design italiano como fator distintivo. É a união de todas estas características, e não só a sua forma e estilo, que faz dela um excelente objeto de design, estando representada em várias coleções museológicas. A exposição coloca em diálogo as scooters com a moda, sublinhando a transformação de linhas e silhuetas, para além da alteração das formas, cores e materiais, de modo a dar maior visibilidade à evolução das mentalidades e diferentes contextos socioculturais. Em exposição apresentam-se cerca de 20 peças de moda e cerca de 80 scooters.